Camerata Aberta apresenta repertório que gravará em CD no dia 6 de setembro, no Sesc Santana

Com o título Janela sobre o espelho d’água, repertório tem seleção e regência de Guillaume Bourgogne e lança olhar retrospectivo sobre atuação do grupo premiado pela APCA em 2010.

O grupo contemporâneo Camerata Aberta faz uma apresentação especial no dia 6 de setembro, terça-feira, no Sesc Santana, às 21 horas, com regência do francês Guillaume Bourgogne. Quatro das sete obras do programa apresentado vão compor o primeiro CD do grupo, a ser gravado entre agosto e setembro, a convite do próprio Sesc.

Bourgogne, maestro que mais frequentemente rege a Camerata, foi convidado pelo grupo a fazer a seleção das peças para o CD, sendo a maior parte integrante do repertório do ensemble em 2010. Completam o programa três obras solistas, sendo que duas obras são inéditas no repertório da Camerata: Appel interstellaire (1972), de Olivier Messiaen, e Loops II (2001), de Philippe Hurel, interpretadas respectivamente pelos músicos da Camerata Nikolay Genov (trompa) e Heri Brandino (percussão). Nuit (1972), de Giacinto Scelsi, foi interpretada pelo contrabaixista Pedro Gadelha no concerto de maio de 2010.

A ideia do álbum é fazer um registro eclético de composições que expressam a identidade da Camerata, lançando um olhar retrospectivo sobre a trajetória do grupo. A base para o repertório é o ano de 2010, ano de estreia do conjunto  e, principalmente, quando recebeu da APCA o prêmio de música contemporânea pelo pioneirismo e pela excelência de sua atuação.

De acordo com a vocação do grupo de promover a formação de um público de música contemporânea e de difundi-la, a seleção de obras abrange vários estilos e gerações de compositores. As peças do CD abrangem um período de cerca de 25 anos, com vários exemplos do que de mais recente se produz em música contemporânea no Brasil e na Europa. A mais antiga é a peça do italiano Franco Donatoni (1927-2000), Spiri (1977), para dez instrumentos.

Os demais compositores estrangeiros, Philippe Hurel e Oliver Schneller, trazem a música contemporânea recente (suas peças foram compostas entre 2001 e 2002) que explora a versatilidade do grupo de câmara. Dois brasileiros completam o programa: Silvio Ferraz, com a obra Window into the pond (1995) e o coordenador artístico da Camerata, Sergio Kafejian, que entra no repertório com a composição criada com o apoio da Bolsa Funarte de Criação Artística de 2008, Sobre Paranambucae.

No CD, estarão presentes ainda três obras que não serão apresentadas neste concerto. Duas delas são de compositores brasileiros: Araés (2004), de Roberto Victorio, Quando se muda a paisagem… (2008), de Rodrigo Lima; a terceira, Águas Marinhas (2004-2005), é do compositor português Miguel Azguime.

PROGRAMA

PHILIPPE HUREL: Loops II

SILVIO FERRAZ: Window into the pond

OLIVIER MESSIAEN: Appel interstellaire

OLIVER SCHNELLER: Diastema

intervalo

SERGIO KAFEJIAN: Sobre Paranambucae

GIACINTO SCELSI: Nuits

FRANCO DONATONI: Spiri

 

SERVIÇO:

 

Camerata Aberta

Data: 6 de setembro (terça-feira), às 21h

Local: SESC Santana

Endereço: Av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana

Ingressos: R$ 12,00 (inteira); R$ 6,00 (usuário inscrito no SESC e dependentes, maiores de 60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino); R$ 3,00 (comerciários e trabalhadores em empresas do comércio de bens, serviços e turismo).

Acesso para pessoas com deficiências.

Informações: (11) 2971-8700

www.sescsp.org.br

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: